12 agosto 2010

Ode à saudade

Sinto tanto a sua falta, baby
mas te peço que ainda assim
não te apaixones por mim
nem te fies de meus olhos
que são como as fases da lua.
Dói-me tanto tua ausência, baby
que me faz criar castelos de cartas
para poder viver junto contigo
esses sonhos que te recito
que são como as areias do deserto.


*** para ouvir: Baby - Gal Costa ***

2 comentários:

Assis Freitas disse...

ode altruista esta, um verdadeiro enigma de desejo,

beijo

Futebol Fair Play disse...

Ode a Joana Masen