06 maio 2010

Poema de ansiedade

Agora me lembro, sonhei:
sonhei que estava
parada na janela
vendo a chuva
e lhe esperava;
queimando ao sol
e você não vinha;
a noite toda
e nenhum sinal...
Desespero
que agora me abate
estou acordada
e ainda lhe espero
passam as horas
2..., 4..., 24..., oras!
Odeio esta janela
onde não lhe vejo,
maldita espera.
Porque você não passa
por sorte, ou por acaso?...


*** para ouvir: Do the evolution - Pearl Jam ***

7 comentários:

Kenia Cris disse...

É engraçado ver alguém falando de ansiedade assim pq passa uma imagem de mim mesma na cabeça.

Por que ele não vem?
Talvez porque seja como um cometa, como o Halley, imagina que tristeza! Eu não estarei mais viva na próxima aparição, com certeza.

Beijo carinhoso, Joana!

PS.: Adoro o nome 'Joana'. =)))

Fouad Talal disse...

É que ele vai entrar pela cozinha...

J.F. de Souza disse...

por que
você
não passa?

maldita dor
que me domina

sem limite disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
sem limite disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Assis Freitas disse...

por sorte ou por acaso, se espera na janela. cheiro

Impulsiva disse...

Pena que ando sem tempo para visitar bons blogs como o seu, adoro suas poesias...

Essa então...linda...fala de algo que nos consome tanto...ah esta espera...

Beijos,
Kenia.