30 março 2012

Diamante

foto: frescendine  

Não grite...
aquela que lhe magoou
não ouvirá.
Tampouco chore, 
deixe que as lágrimas
lhe encharquem o coração.
Esse sorrir vazio já não seduz
e sua tristeza poética
ainda é novidade.
Esqueça, ame e guarde
pois tudo foi tão longe e louco
que até o fim da primavera
ficou para mais tarde.

(Seu coração de diamante foi marcado a carvão).


*** para ouvir: True love - Soldiers of Jah army ***

Um comentário:

Kenia Cris disse...

Delícia de poema, Joana! Adorei a batida dos versos e SOJA é um complemento inteligente!

Beijo carinhoso. <3