11 setembro 2012

Afago


Gritou o poeta:
-Deixe-me aqui sozinho
a observar o céu estrelado
com o peito assim,
apertado,
que num minuto te faço um poema,
novinho!
A culpa é da saudade discreta,
que inspira meu sofrer
a rimar com bem(te)querer.


*** Para ouvir: Meu amor é teu - Marcelo Camelo ***

5 comentários:

Assis Freitas disse...

o poeta e suas urgências: a lavra da palavra,


bj

Hozana Rodrigues disse...

Lindo!
A saudade desperta a poesia em nós.
Parabéns!
Abraços!

Preto no Branco disse...

Me ganhou com a indicação da música <3.<3.
Adorei o poema, achei lindo mesmo!!
Beijo, estou seguindo :))

Paloma Viricio:: Jornalismo na Alma:: disse...

Que lindooo poema! Nahim...você escreve muito bem! ADorei seu cantinho. Volte sempre no meu quando puder.
Beijos!
Paloma Viricio- Jornalismo na Alma

Marcos de Sousa disse...

O poeta e suas necessidades, seus anseios...

Poesia encantadora. Amei!

Beijo

O mundo sob o meu olhar