06 maio 2012

Janelas

foto: Gustavs

Até abrir as janelas
não sabia da ausência,
não sentia falta...
não sentia.
E até olhar por elas
não sabia o que seria
ou não seria.
Aquelas janelas
de negrume tão doce
e delirante
iluminou o que era antes
um brilho fraco e zen,
revolveu e amansou
o compasso em meu peito.
Aquelas janelas...
Quanta vida havia nelas?
Podia até tocar o céu
e o nada
que através delas
nunca seria demais.
Nunca foi demais.



*** para ouvir: God put a smile upon your face - Coldplay *** 

Um comentário:

Assis Freitas disse...

janelas descortinam, amanhecem


beijo