07 fevereiro 2011

Fagulha

Tens os olhos translúcidos da noite
traduzidos em sacra poesia.
A alma cristalina de outono
embalada por trovas meninas.
Nas mãos frias de adeus
sabes de cor todos os silêncios.


*** para ouvir: Universally speaking - Red Hot Chili Peppers ***

3 comentários:

Assis Freitas disse...

decoramos as cores do silencio

beijo

Eduardo Trindade disse...

Não, não lamúria; dolência. É como uma rede a balançar que leio teu poema...
Abraços!

Poemas do Jorge Jacinto disse...

Muito bom! Parabéns pelo blog! Abraços, Jorge.